Fórmula 1

  • Crédito: Getty Images

    Chefe da Ferrari acredita que planejamento não foi bem feito.

Título de 2019 foi perdido em 2018, acredita Binotto

Para chefe da Ferrari, projeto não era bom o bastante
Por: Bruno - 08/12/2019 17:10:55
154 visualizações

Se a Ferrari não levou o título de construtores em 2019, deve colocar na conta o ano anterior. Essa foi a análise do chefe da equipe, Mattia Binotto. Ele, que chegou para substituir Maurizio Arrivabene na função, teve nesta a sua primeira temporada como chefe. Segundo Binotto, o título foi perdido durante o desenvolvimento do carro, ainda em 2918, ano em que a Ferrari teve seis vitórias. 

“Acho que perdemos no ano passado no desenvolvimento do carro. No fim, não fomos competitivos no começo da temporada, e existem motivos para isso. Acho que o projeto não era bom o bastante para começar. Mostramos desenvolvimento ao longo da temporada. No geral, nosso design não foi bom como o do nosso maior competidor, então acho que é isso”, disse ele em entrevista à revista ‘Autosport’.

Com apenas três vitórias ao longo do ano, equipe foi facilmente superada pela Mercedes. Pior que a ilusão era de um bom desempenho, após a velocidade alcançada na pré-temporada, o que chamou a atenção. A confiabilidade em 2019 também foi sofrível. No Bahrein, Charles Leclerc perdeu uma vitória praticamente garantida. E na Áustria, Alemanha, Rússia, Estados Unidos e Brasil, problemas rondaram os carros (e os boxes) da equipe.  

Binotto entende que o ano foi de reestruturação. “Tem sido uma temporada intensa. Muita coisa a fazer. Reestruturamos, organizamos o time. Mas acho que nesse meio tempo, tentamos adicionar e melhorar o carro, e acho que fizemos isso durante a temporada, pelo menos em algum nível. Mas agora que a temporada acabou, estamos olhando para a próxima”, seguiu.

“Sabemos que temos algumas falhas, onde somos fracos comparando com eles (Mercedes), e estamos colocando todo o nosso esforço para melhorar. Não sei qual será a situação no começo da próxima temporada, ninguém sabe até aqui. Sabemos que é uma temporada de 22 corridas, então o que vai acontecer no início pode mudar depois. O que é importante é manter o time unido, manter o foco, trabalhar duro, bem e ter a motivação alta”, completou, citando os GPs da Holanda e do Vietnã, que estarão no calendário de 2020. 

 

Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade