+ Notícias

  • Crédito: Divulgação/Vicar

    Preços salgados: somente com rodas e pneus equipe gasta mais que R$500 mil por ano.

Quanto vale o show para manter uma equipe?

Equipes de ponta chegam a gastar até R$10 milhões por temporada
Por: Thiago Pereira - 01/06/2015 18:37:59
1.422 visualizações

Uma equipe precisa de pelo menos R$ 3 milhões para participar de uma temporada na Stock Car, como garante Rosinei Campos, 59 anos, chefe da Eurofarma RC, que está presente na categoria desde sua fundação, em 1979. O cálculo de investimento vai além e pode assustar até mesmo os mais fanáticos por automobilismo, já que o valor inicial não leva em consideração acidentes, despesas com manutenção, logística e salários de mecânicos, engenheiros e demais funcionários que fazem parte da equipe. Ao final de cada temporada, incluindo ativos e passivos, a conta pode ficar amarga e chegar a casa dos R$10 milhões.

Veterano na modalidade, Rosinei Campos, o "Meinha", revela detalhes de investimentos que devem ser feitos para fundar uma equipe na principal categoria de carros de turismo do automobilismo brasileiro. "Definitivamente a Stock Car é um esporte caro. É um cálculo difícil de fazer, mas posso te adiantar o preço de alguns equipamentos que utilizamos por ano: cada carro custa R$ 350 mil (valor bruto, sem rodas, pneus e modificações), gastamos mais R$ 150 mil com aluguel de motores por veículo, R$ 240 mil por carro em pneus, sem falar em outros custos", destaca. 

No decorrer da temporada, o valor de R$3 milhões pode praticamente triplicar, chegando próximo a incrível faixa dos R$10 milhões, como indica Meinha. "Somente com a sede colocaria um custo fixo entre 2 a 3 milhões de reais, mais um caminhão por etapa que contém em equipamentos reservas R$1,5 milhão, além de valores para bancar toda esta megaestrutura, em que devemos considerar a logística, com caminhões, vans, passagens aéreas, a montagem e reformas dos boxes, o custo anual de uma equipe de 10 a 15 pessoas, entre engenheiros, mecânicos, telemetristas e parte administrativa", conta Meinha. 

Segundo o chefe da Eurofarma RC, os altos valores fazem com que a modalidade seja pensada de uma maneira cada vez mais profissional. "Não estamos aqui para gastar dinheiro. Sou um profissional responsável por administrar uma verba de patrocinadores, que por pagarem caro exigem um desempenho em alto nível", explica. Os elevados custos fazem com que a maioria dos pilotos procure seus próprios patrocinadores para separar da conta os gastos que têm em alimentação, com preparadores físicos, médicos e fisioterapeutas. 

Custo é baixo se comparado à Fórmula 1

O valor, que pode ter deixado os desavisados com os olhos arregalados, é pequeno, se a categoria for comparada com o valor gasto pelas principais escuderias da F1. De acordo com a revista britânica Business F1, que publicou um artigo sobre os valores monetários da mais nobre categoria do automobilismo no final de 2014, escuderias de ponta como Mercedes, McLaren e Ferrari chegam a gastar até R$400 milhões por temporada.  

Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade