Fórmula 1

  • Crédito: Divulgação/Ferrari

    A Ferrari tem o maior orçamento entre as equipes.

Qual o custo por ponto por equipe?

De acordo com o orçamento deste ano, veja quanto custou cada ponto de 2018 por equipe
Por: Redação e agências - 12/03/2019 13:36:06

A temporada de F1 de 2019 começa neste próximo final de semana em Melbourne, na Austrália e como em temporadas anteriores a Mercedes e a Ferrari são as grandes favoritas ao título de pilotos e construtores, com a Red Bull correndo por fora.

Vamos traçar um perfil de cada equipe, seu orçamento e o custo por cada ponto conquistado na temporada anterior:

Mercedes: ganhou tudo na F1 desde 2014 começou a era híbrida de motores que chegam sem grandes mudanças até hoje. Cinco campeonatos consecutivos de pilotos, todos com Hamilton (exceto para o 2016 que Roberg ganhou) e cinco construtores. É a segunda equipe que mais gasta e é mais rentável, porque cada ponto ganho na temporada passada saiu a um preço de 0,62 milhões de dólares, algo que nenhuma mais recebe. Orçamento: USD 405 milhões de dólares - custo por ponto conquistado: USD 0,62 milhões.

Ferrari: começa mais um ano, a décima segunda desde que Kimi Raikkonen alcançou o último título vermelho, na esperança de superar as "flechas de prata" e colocar um de seus pilotos no topo. Vettel é o seu piloto número um, mas não é claro que ele possa manter esse status durante toda a temporada contra um Charles Leclerc, que tem como objetivo vencer as corridas e ser um dos principais protagonistas do ano. A equipe é colocada, como segunda favorita, atrás da Mercedes e a frente da Red Bull. Orçamento: USD 410 milhões de dólares - custo por ponto conquistado: USD 0,72 milhões.

Red Bull: é a terceira na disputa e estreia a uma nova parceria com a Honda, que parece ter melhorado muito de desempenho de potência, mas gera desconfianças quanto a confiabilidade. Max Verstappen quer ser um dos quatro pilotos (juntamente com Hamilton, Vettel e Leclerc) a disputar o título da temporada. Sua condução está à altura da tarefa em termos de talento, agressividade e ambição, mas para isso o RB15 deve responder todo final de semana. Orçamento: USD 315 milhões de dólares - custo por ponto conquistado: USD 0,74 milhões.

Renault: parece ter melhorado seu motor, onde se fala de 40 CV de ganho neste inverno e está em um ano chave para o seu futuro. O pesado desembolso para ter o piloto australiano Daniel Ricciardo soma-se aos 90 milhões já colocados na mesa pela marca francesa, o que deve se traduzir em resultados imediatos. O novo chefe da empresa francesa, após o escândalo de Carlos Ghosn, poderia voltar atrás no projeto e permanecer somente como fornecedor de motores, algo que aconteceu no passado. Orçamento: USD 190 milhões de dólares - custo por ponto conquistado: USD 1,55 milhões.

Haas: é conhecida por muitos como uma aspirante a terceira equipe da categoria. Sua melhora no carro não é acompanhada por pilotos confiáveis e que decidem corridas em situações difíceis. Orçamento: USD 130 milhões de dólares - custo por ponto conquistado: USD 1,4 milhões.

McLaren: também enfrenta um ano chave, após os piores quatro anos de sua história. A chegada de Carlos Sainz, Lando Norris e um MCL34 melhor que seus antecessores nos fazem pensar em um ano em ascensão e uma evolução lógica da equipe. Há ceticismo em todo o paddock quanto se será um carro de Q3. Orçamento: USD 220 milhões de dólares - custo por ponto conquistado: USD 3,23 milhões.

Racing Point: a equipe de Sérgio Pérez, que está de volta, normalmente começa calmamente e avança com cada peça que sai da fábrica. O mexicano está convencido de que será o quarto time, à frente de Renault ou Hass. É um dos equipamentos mais eficientes há anos e só precisou de 1,08 milhão para cada ponto conquistado  em 2018. Orçamento: USD 120 milhões de dólares - custo por ponto conquistado: USD 1,08 milhões.

Williams: passa pelas piores momentos em 40 anos. Continua com uma estrutura de equipe, mas seus resultados estão piorando. Eles precisam de 3 milhões de dólares para atingir cada ponto. Orçamento: USD 150 milhões de dólares - custo por ponto conquistado: USD 21,5 milhões.

Sauber: Orçamento: USD 135 milhões de dólares - custo por ponto conquistado: USD 2,8 milhões.

Toro Rosso: Orçamento: USD 150 milhões de dólares - custo por ponto conquistado: USD 4,54 milhões

Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade